Feeds:
Posts
Comentários

Archive for dezembro \29\UTC 2006

Querido 2007

Por Sofia Brunetta

Querido 2007,

Começo esta carta sendo sincera com você: sentirei muitas saudades de 2006. Foi um ano cheio de mudanças, de novas pessoas, de conquistas no campo pessoal, de estabilidade no amor e na família. Comemoro mais um ano de amizade sincera com as amigas de sempre, para sempre, e novas pessoas. Dois anos de ppn1 , cheia de saudades, mas realizada e trabalhando.
Descobri que a rotina é uma maneira de viver o amor a cada dia e aprendi com o tempo a encontrar beleza nas coisas simples. Que gostar do que é mais fácil não significa impotência frente as dificuldades. Aprendi depois de dois anos de vida com meu novo irmãozinho , que amor não brota da árvore genealógica , é cultivado no dia a dia e quando oferecemos boas emoções recebemos muitas outras em troca, em proporção acima de qualquer condição social, raça, ou preconceito. As situações inesperadas podem ser mais que especiais.
2006 ajudou a provar que estar só não quer dizer ser infeliz, mas o amor é meio passo para o caminho da felicidade mais consistente, menos repentina.
Em 2006 tivemos mudanças políticas, e aquele ex- operário conquistou novamente o apoio da maioria da população. Por favor, 2007, seja diferente neste aspecto, traga mais sensatez e menos promessas. Faça ele lembrar que liderar não é usar o terno mais bonito, é lutar por quem acreditou e não esquecer o passado mais amargo que o doce conforto que o poder proporciona apagou.
Não esperamos por milagres, fique tranquilo. Não acreditamos em mudanças radicais, até porque elas costumam ser imediatas e pouco duradouras. Os líderes de outros países não começarão a propagar a paz de repente. Mas 2007, querido, dê tempo para que a mudança comece a acontecer dentro das pessoas, que com você e os próximos anos chegando, perceberão que sua sobrevivência depende de muitas coisas, entre elas respeitar os bichos, as plantas, o homem. Escutar gente velha e receber bem as que chegarão e poderão trazer novas maneiras de viver melhor aos que já estão por aqui há algum tempo.
Desejo que você, 2007, venha com muita esperança para os que já se acostumaram a desistir. Saúde pra quem tem fé, mas não tem forças pra propaga-la como gostaria. Uma boa dose de alegria paras crianças que a perderam alguns anos atrás, entre um sinal e outro, mas que ainda podem sorrir, com sua ajuda. Tempo, pra que todos nós possamos ganhar mais momentos perto da família, ou para construir uma nos moldes que sempre sonhamos ter. Sabedoria pra entender que sabemos muito menos do que pretendemos. Paciência para escutar, pressa para propor e executar as idéias que ajudem a construir um futuro melhor para todos.
A você 2007, desejo que seja como os sonhos que embalaram nossas noites infantis. Mas por favor não deixe de ser uma realidade na busca incessante e coletiva de um futuro mais justo para os que ainda não têm oportunidade de sonhar.
Obrigada 2006. Seja muito feliz 2007!

Read Full Post »

Por Moara Brasil

Se eu pudesse eleger o ano mais surpreendente de todos os 23 anos que já tenho nessa vida, elejo o de 2006.

2006 foi um ano assim, sofrido, fudido, e adoravelmente atraente.
A minha virada de ano foi entre familia, e num pub com amigos. No dia 6 de janeiro fui a mulher devassa, a mais intensa, seguindo a mesma energia daquele homem.Eu sabia que não seria mais uma noite. Porém, o dia 6 de janeiro foi quando conheci a paixão fudida, e que me fez quase cair num buraco. Eu sei que não posso condená-lo, não fui das mulheres a melhor, mas com certeza fui a mais verdadeira. Ele conseguiu destruir todos os cantinhos inabtáveis do meu coraçãozinho, e deixou o orgão afetado e sem esperanças. Achei que a paixão não poderia me atingir como doença, me deixando fragilizada e sem vontade pra nada.Daquelas que sentimos vontade de morrer, onde acreditamos que só existe esse amor, e ninguém mais. Poisé, essa paixão me consumiu por inteiro, quase esqueço do mundo, se não é que eu o esqueci. Quase abandono a Moara, eu a humilhei terrivelmente, hoje peço a mim mesma desculpas. Por não ter cuidado de mim como deveria, com todas as atenções e carinhos. Mas como todos dizem, isso vale como experiência,dessa vez eu vou ficar alerta.É bom chorar até doer. Pois por ele chorei no chuveiro, que se confudia com as minhas lágrimas que não acabavam.

Dói muito, eu não recomendo para o todo e sempre, mas eu recomendo uma vez na vida. SAbe quando uma criança merece uma porrada?É pra aprender e se domesticar.
Ele fez eu acreditar que é possivel sim amar, e amar se fudendo ao mesmo tempo. A paixão me disse que eu poderia gritar, bater na parede, bater na cara dele, ficar insana e ridicula. Ter trilhas sonoras, lembrar da pipoca que ele comia sempre, e da raiva que me dava em ter que aguentar os barulhos de seus dentes mordendo a pipoca. Esse sentimento devastador me fez doar meu tempo a ele, minhas noites que poderia estar estudando, ou crescendo de alguma maneira. Fez com que eu deixasse um pouco meu egoismo de lado, numa caixinha por um tempo, eu só pensava nele e ao mesmo tempo odiava tudo isso, mas o orgamo era maior.E era o orgasmo que eu buscava.

“Mas apesar de você, amanhã há de ser outro dia”. O amor me jogou na rua como qualquer uma, mas não liguei para isso.Eu agradeci. Ele me procurou depois, mas já era tarde. Conheci o francês, que apareceu na melhor hora, como um presente divino. Não deu tempo de sofrer, nem de suspirar. Sabe aquela coisa vazia depois de um fora dado?Sabe aquele tempo que temos que passar pós-relacionamento conturbado? Poisé, não vivi, porque ele apareceu de presente sem deixar eu dar um suspiro de sofrimento.E foi um mês de amor sincero e correspondido, intenso porque ele iria embora. Ele se foi. E hoje…apenas correspondências. MAs desde aí, aprendi a ser mais mulher e ter mais paciência, porque apesar de demorar, aquele velho ditado existe, quanto menos esperar aparece.

Esse ano foi de conquistas, na faculdade, e no que eu faço com muito amor: a arte na moda. Esse ano fui mais irmã do que nunca da minha querida Lora, que apesar dos pesares nós construimos muitas coisas. Esse ano mamãe fez plástica no nariz, eu fiquei feliz por ela. Esse ano foi um presentão de experiências, ano que vem será uma surpresa maior ainda.

Feliz ano novo para todos!.

Read Full Post »

Por Moara Brasil

Esse ano foi o natal mais atípico de todos os meus tempos, primeiro que não fui à casa da vovó como sempre, rever os familiares e participar das fofocas e queixas da minha família Brasil.
Mamãe resolveu fazer uma cirurgia plástica no nariz em plena véspera de Natal e ano novo. E claro, como eu sou a única mulher da casa, os serviços domésticos sobraram pra mim, em dose dupla, porque geralmente eu apenas ajudo a mamãe. Estamos sem empregada, ai… Já viu né! E faz sopinha, bananada, comidinhas pra minha mãe. Faço com todo o amor do mundo, ela até me disse que vai inventar uma doença para não sair mais da cama. Bem, voltando ao Natal, meu pai comprou um Peru. Ainda bem que peru já vem temperado, senão seria mais um trabalho. Odeio fazer farofa, e diz que foi umas das melhores farofas que já fiz. Arroz com cenourinhas, preparei a ceia como todo o mundo prepara normalmente, com a ajuda da cunhada e seus doces e a ajuda de meu paizinho. Tudo bem que meu pai exagerou na dose de azeite e trigo no molho do Peru, mas o que valeu foi a intenção.

Eu odeio Natal, vou ser sincera, passar com a minha mãe foi interessante, não fiquei do lado daquelas gritarias de família tagarela.
Mas claro, com a minha alma boêmia, tive que dar aquela saidinha tradicional, dessa vez para um lugar mais atípico de todos os tempos. Fui para o Pará Club, lotadéeesimo e com todas as bandas do mundo! No mínimo foi engraçado, o que vi de figuras por lá não teve comparação a nenhuma outra festa,tinham mulheres com vestidos curtesimos, musculosos bêbados exibindo seu fisico, homens gó fritando* qualquer saia. Nunca a minha tatuagem foi tão elogiada, com exceção de um menino cujo vulgo é “o merda” que me perguntou se a minha tatuagem era um bumerangue. Nunca, na minha vida, estar de salto altos, sainha e regata foi tão sucesso. Primeiro que cheguei um pouco tarde lá, era umas três e meia da madrugada, todo mundo já estava cambaleando. Vi neguinho se jogar na piscina, de samba canção, homens lindos e o melhor de tudo… Aquele homem. Sim, o que eu não vejo há anos, o cara da minha vida. Mas o que ele estaria fazendo lá?Eu acho que ele se perguntou o mesmo, minhas pernas tremeram, olhei-o e bestamente virei o rosto e continuei conversando no meu celular.
Voltei com as amigas, e nunca vi os homens tão serelepe pro meu lado. Até fiquei sem graça, pois o namorado de uma das minhas amigas estava me elogiando demais, minha tatoo, meus cabelos, meu nome, etc.
Mas não teve jeito, até sete horas da manhã, depois de ter aprendido todos os passinhos de pagode, axé, etc., ele não saia da minha cabeça. Por onde ele anda?Será que ainda está namorando com aquela menina de medicina?Será que ele vai embora d país?Será que ainda continua o professor de espanhol, ou será que ainda dança aqueles chorinhos como ninguém?Eu sinto saudades, um dia ainda vou casar com esse homem.

Go fritando= ato de paquerar alguém.

Read Full Post »

O ano do sexos

Por Moara Brasil

Eu queria tentar escrever um texto sério, algo que não tivesse sexo. Juro que um dia vou conseguir!Juro em nome da Garfilda, minha gatinha querida, a gata mais sexualmente ativa da minha casa. Mesmo porque acho que ando meio com uma má reputação da minha imagem, um blog de nome “showxota” faz com que os homens nem queiram mais conversar comigo. Sim sim querido! É uma pressa absurda, eu quase que leio a mente desses machos “Oi moara, bora pro motel?”. Quando o rapaz fala que sou sexy demais, aí pronto… sexo não faltará!Eu sei que ser desejada não é de todo um mal, ainda bem, levanta o ego!
Mas porra, querer me comer até com os olhos sem trocar uma palavrinha de entrada é foda literalmente…
Eu não exigo muito, só apenas converse sobre qualquer coisa, eu adoro falar. Até sobre o novo corte de cabelo do vizinho é assunto de mesa de bar.
Mas enfim, deve ser uma fase passageira na minha vida. Esse foi o ano do sexo, graças a boa imagem que tenho.
Tive sexo de todos os jeitos e tamanhos, desde o falante “vai vai, goza safadinha!” até o mudinho (ai meu Deus, será que ele tá morto?).
Um foi no Drive-in, com direito a trilha sonora de música brega. Era interessante fazer movimentos enquanto se ouvia uma voz afinadamente estridente com uma letra totalmente romântica “use infectada da saveiro dessa festa agitar o veneno”. E pior que conheci o companheiro dessa noite através desse brega numa boate, foi uma linda homenagem dele, eu creio.

Ai..detesto drive-ins. Tem coisa pior do que aquela caixa horrorosa do lado de outras caixas?Onde se houve as piores músicas dos carros e piores gozos do mundo?Vou contar uma coisa para vocês, nunca fui em Motel.É um caso mal resolvido na minha vida, sonho todas as noites com um homem que me leve a um 5 estrelas. Pode acreditar, nunca um homem que se preste me levou para um motel. Eu sei que no meu quarto tudo é permitido, mas ultimamente eu não vou mais usar meu quarto, e prometi falar pra todos os homens que meus pais são conservadores e que nem toleram namoro na porta. No meu quarto nunca mais! Só que até agora só me levam para drive-ins,quando vai aparecer um homem que preste ein..com um pouco de grana a mais que eu?Eu não mereço!

Ai, mas eu acho que não tem coisa pior do que transar menstruada. Gente, é bom….mas quando termina fica aquela lástima. SAngue na parede, sangue no lençol, na cara do parceiro, na roupa, uma guerra companheiros!
Mas enfim, voltando ao ano do sexo, eu cansei…sexo por sexo eu tenho os meus dedinhos. Como eu disse logo acima, só quero uma conversinha antes, de preferência com bastante humor e uma latinha de cerveja. Espero que o ano que vem as coisas mudem, eu espero.

Read Full Post »